Pilates na Gestação: O que você precisa saber sobre o fortalecimento do assoalho pélvico

Pilates na Gestação: O que você precisa saber sobre o fortalecimento do assoalho pélvico 1

Durante a gravidez, digamos diversas mudanças no corpo, que podem gerar dores e desconforto. O Pilates para gestantes pode trazer diversos benefícios com sua prática, se tornando um grande aliado nessa fase.

Dentre todos os benefícios, seja mais importante na vida gravida, continue lendo para saber porque.

O que é o assoalho pélvico?

O assoalho pélvico é composto mais superficialmente pelos músculos Bulbocavernoso, Isquiocavernoso, Transverso Superficial e Profundo e esfíncter anal externo, e na camada mais profunda dos músculos Levantadores do ânus (Pubococcigeo, Puborretal, Pubovaginal, Iliococcígeo) eo Músculo coccígeo.

Esses músculos, e mantêm uma continência da urina e fecal e também se relaxam para permitir o esvaziamento intestinal e vesical.

São responsáveis ​​pela sustentação dos órgãos pélvicos, evitando que eles se deslocam do posicionamento normal, e também participam ativamente da resposta sexual feminina normal, os quais são extremamente distendidos para permitir o parto. Porém, logo após o parto, eles também devem se reconverter para manter como suas categorias anteriores.

Benefícios do Pilates para gestantes

O método de exercícios e visões do trabalho corporativo, bem como fortalecer os conhecimentos da musculatura global, dando ênfase em diminuir os desequilíbrios musculares, e manter uma boa estabilidade postural.

A literatura ainda é muito escassa quando relacionamos o fortalecimento de assoalho pélvico com a prática do Método Pilates.

Um dos princípios do método e uma ativação da musculatura profunda denominada Casa de força, núcleo ou centro, formando um cinturão que vem desde uma base das costelas até uma região inferior da pelve. Você deve manter-se em contração durante os movimentos dos exercícios propostos.


A ativação correta da musculatura

O grande problema é que nas aulas de Pilates, nem sempre há uma orientação e acompanhamentos para saber se a aluna está ativando essa musculatura corretamente. E também tem um problema de solicitação para contrair o assoalho pélvico, juntamente com o transverso abdominal, multífidos e retos abdominais. O que resulta às vezes em uma contração incorreta ou uma sobreposição de forças dos músculos abdominais.

Algumas alunas inclusive ativam muito mais a musculatura acessória, que são os representantes, os glúteos e os abdominais, negligenciando uma musculatura de assoalho pélvico que normalmente está mais fraca.

Devemos incentivar-nos a realizar os exercícios de contração isolada, sem seu dia e dia, e não menos importante, ensiná-las a relaxar também, que seja de extrema necessidade durante o parto normal.

Além disso, é importante também para evitar hipertonias, que podem desencadear outras desvios. Podem variar de dor pélvica, até mesmo, na articulação sacro ilíaca.

Existe uma musculatura que auxilia na sustentação e estabilização pélvica, e que exercem influência sobre o assoalho pélvico. São eles mais importantes, médios e mínimos, piriforme, obturador interno, ilio psoas, transverso, adutores, entre outras.

Assim, além de orienta-como um trabalho como contrações isoladas no seu dia a dia, devemos Demonstração de fortalecimentos e acompanhamento da globalização global, de acordo com uma necessidade individual de cada aluna.

A importância do Pilates no fortalecimento

Uma vez que existe uma influência de hormônios sobre essa musculatura, o que é difícil ainda mais o controle e coordenação, além do peso do bebê que vai aumentando ao longo das semanas, e sobrecarregando ainda mais o assoalho pélvico, gerando mais fraqueza, por esse Motivo devemos ser muito cautelosos no ensino da contração correta da musculatura do assoalho pélvico para estas alunas.

O ideal mesmo, mas que hoje em dia, é difícil, é que estas mulheres antes mesmo de decidir o gravador, efetuar o treinamento da musculatura, além de preparar o corpo como um todo mesmo.

Na realidade atual muitas mulheres ou ficam grávidas, nem sequer são orientadas sobre uma importância da musculatura, e influência sobre a gravidez eo parto. E assim que somos mulheres seguem idealizando um parto, como visualiza nossos filmes e novelas, e sem preparo um pouco mais difícil e acabando evoluindo para um final que não era muito esperado por essa mulher.

Segundo alguns estudiosos, todas as mulheres nasceram para “parir” por via vaginal. Porém na prática não é o que está habituados a encontrar, a maioria por falta de informação, acreditam que não tem nada que você quer fazer para auxiliar ou até mesmo “facilitar” um parto normal.

A prática do método de pilotagem é importante e importante em primeiro lugar, o que é um requisito importante para uma gestação e um parto mais tranquilo. E como falamos desde o início desta matéria, teremos a ativação da musculatura de assoalho pélvico.

Concluindo

Sendo assim eu acredito, e minha prática clínica confirma, como alunas gestantes que praticam o Pilates com regularidade, passam muito bem por período de gestação, um parto tranquilo e uma recuperação mais rápida após o nascimento do bebê.

Ainda faltam como pesquisas com maior grau de confiabilidade para comprovar realmente estes resultados, porém, em minha opinião, enquanto isso não acontece, vamos continuar incentivando os instrutores de Pilates que atuam com esse público.

Quanto mais profissionais consideram esse pensamento e conduta diferenciado, maior será o número de mulheres que terão estes benefícios. É claro que precisamos o discernimento de sabre até aonde Pilates pode atuar, na prevenção de disfunções do assoalho pélvico, pode ser uma excelente forma.

Dra. Patricia de Andrade Valeriano – Crefito-3/77458-F
Fisioterapeuta e Instrutora de Pilates na WP Pilates & Saúde
Integrante do grupo das ideias do Projeto Mamãe Saudável
Responsável pelo curso de Pilates para Gestantes na Pilates Avançado

Referência bibliográfica
• Andreazza, E. I; Serra, E. Uma influência do Método Pilates no fortalecimento do assoalho pélvico.
Fonte: BlogPilates

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *